Segunda, 28 Maio 2018 11:33

AGGEMT promove curso de Design Thinking para gestores governamentais

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

A metodologia já consolidada em muitos países utiliza técnicas para resolução de problemas de forma inovadora, priorizando a valorização das pessoas.

 

RENATA NEVES

Assessoria AGGEMT

 

Com o objetivo de capacitar seus associados a solucionarem problemas de forma criativa e inovadora, a Associação dos Gestores Governamentais do Estado de Mato Grosso (AGGEMT) promoveu, na última sexta-feira (25), o curso de Design Thinking.

 

Durante o curso, realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso, servidores da carreira de Gestor Governamental, que atuam no Poder Executivo Estadual, aprenderam a utilizar métodos e processos para resolução de problemas, priorizando o trabalho colaborativo em equipes multidisciplinares.

 

O Design Thinking foi apresentado no Fórum de Davos de 2006 como a abordagem mais adequada para lidar com a complexidade do mundo atual. Seu uso também é recomendado desde 2015 pela União Europeia para solução de problemas em todas as esferas da gestão pública.

 

O método se sustenta em 3 pilares: empatia, colaboração e experimentação, sendo o primeiro deles seu maior diferencial. “O Design Thinking é considerado a capacidade para combinar empatia em um contexto de um problema, de forma a colocar as pessoas no centro do desenvolvimento de um projeto. É preciso observar as pessoas que são impactadas diretamente pelo problema para o qual está se buscando uma solução e também analisar esse problema de diversos ângulos antes de propor saídas”, explicou Paulo Rangel Filho, especialista em Design Thinking e Inovação.

 

O modelo padrão da abordagem é dividido em 5 fases: empatia, descoberta, ideação, prototipação e teste. Nas fases divergentes (empatia e ideação) busca-se a maior quantidade de ideias, soluções e insights. Já nas fases convergentes (descoberta e prototipação), procura-se através dos feedbacks das fases anteriores, gerar soluções a partir da pluralidade de ideias e observações.

 

Após serem apresentados aos fundamentos do método, os gestores governamentais participaram de uma dinâmica em grupo, durante a qual puderam colocar em prática cada uma das fases, utilizando a ferramenta Lego.

 

“O Lego faz com que as pessoas trabalhem ‘pensando com as mãos’. Ao fazer isso, elas utilizam partes dos seus cérebros que normalmente não são trabalhadas. Quando você aciona essas partes do cérebro, consegue ativar a sua parte mais criativa e, com criatividade, consegue que as soluções venham mais rápidas e de forma mais simples”, salientou Cleiton Fernandes, especialista em Lean Inception e dinâmica com Lego.

 

A gestora governamental Flávia Pimenta de Medeiros Calmon, que atua na Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), avaliou o curso positivamente. “O curso foi excelente. Durante a dinâmica, levantamos os principais problemas que enfrentamos na nossa carreira e construímos soluções para eles. Foi uma oficina muito prazerosa e a metodologia aplicada também foi muito agradável. Espero que possamos levar adiante as soluções que definimos em grupo”, disse.

 

O gestor governamental Paulo Sérgio Ferreira, que atua na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), destacou a possibilidade de utilização do método aprendido na rotina diária dos servidores. “Essa abordagem do Design Thinking é bastante interessante, pois auxilia na resolução de problemas mais complexos, com os quais a gente se depara nos órgãos onde atuamos. Saímos desse encontro com soluções bem encaminhadas para a nossa carreira e isso foi um grande ganho. Agora cabe a cada um utilizar esse método no seu dia a dia e também se aprofundar um pouco mais”, avaliou.

 

 

 

Ler 91 vezes Última modificação em Terça, 12 Junho 2018 11:06

Parceiros

Banner 1
Banner 2
Banner 3
Banner 4
Banner 5
   
: